© 2019 Por Verdeluz

NOSSA HISTÓRIA

O Projeto Verdeluz nasceu em 2013 através de um projeto de extensão de um grupo de alunas da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará, que tinham o sonho de colocar em prática o conceito de sustentabilidade. A ideia era aliar meio ambiente e ação social através da educação ambiental para crianças. Para tornar esse sonho possível e realizável, saímos da Universidade e fomos para a rua, nossa primeira intervenção foi na Associação Boca do Golfinho, no antigo bairro de pescadores do Serviluz, em Fortaleza.

Desde então, foram implementados 30 projetos que vão desde oficinas semanais na comunidade até grupos de estudo para compreender as temáticas socioambientais. Em 5 anos de atividades, mais de 200 voluntários já passaram pela organização, contamos com 90 voluntários ativos distribuídos entre 4 projetos atuantes e a diretoria. 

Além disso, contribuímos no debate e formulação de políticas públicas na participação em conselhos e conferências internacionais. Participamos das oficinas de formulação do Plano Nacional da Juventude e Meio Ambiente, e da elaboração do Plano Municipal de Educação Ambiental de Fortaleza. Fazemos parte dos conselhos de duas unidades de conservação: o Conselho Gestor das Unidade de Conservação Municipais da Sabiaguaba e o Conselho Gestor do Parque Estadual Marinho da Pedra da Risca do Meio. Também temos participação no Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos. Estamos presentes nas conferências internacionais como: COP 20, COP 21 e COP 22; e Conferência sobre a ODS 14.

Missão

Fomentar o pensamento crítico e complexo acerca das relações humanas com o ambiente, consigo mesmo e com o próximo.

VISÃO

Ajudar a promover um ser humano com consciência ecológica e coletiva, guiado por seu senso de pertencimento à natureza e a comunidade.

VALORES

Autonomia, Inclusão, Ecoafetividade, Alteridade, Praotividade, Resiliência

Equipe

Larissa

I’m a paragraph. Double click me or click Edit Text, it's easy.

Jane Doe

I’m a paragraph. Double click me or click Edit Text, it's easy.

Jane Doe

I’m a paragraph. Double click me or click Edit Text, it's easy.

Jane Doe

I’m a paragraph. Double click me or click Edit Text, it's easy.

Jane Doe

I’m a paragraph. Double click me or click Edit Text, it's easy.

 

Projetos

GRU

Os impactos relacionados à geração e ao descarte inadequado de resíduos são alguns dos maiores problemas urbanos enfrentados em todo o mundo, por isso o Grupo de Estudos e Articulações sobre Resíduos Urbanos (GRU) nasceu no final de 2016. Consideramos importante renovar um grupo de trabalho voltado à problemática dos resíduos sólidos pois o meio ambiente e, especificamente, a população de Fortaleza tem enfrentado diretamente as consequências de uma cidade poluída por lixo, com a proliferação de doenças, alagamentos e poluição de rios, de lagoas e da praia, comprometendo a qualidade da água, já escassa no Estado, e tornando espaços de lazer da cidade pouco atrativos.

O GRU age em três linhas de atuação principais:

Educação

Encontros do grupo de estudos para aprofundamento nos assuntos relacionados ao tema e propondo atividades de Educação Ambiental em escolas e espaços educativos.

Pesquisa

Com monitoramento periódico do lixo encontrado na Praia do Náutico.

Políticas Públicas

com participação na execução de políticas voltadas à implantação de coleta seletiva em Fortaleza e à inclusão dos catadores de materiais recicláveis neste processo.

Visamos promover uma maior sensibilização da população frente à temática, construir diagnósticos sobre a atual situação dos resíduos sólidos urbanos em praias de Fortaleza, além de incentivar iniciativas que viabilizem a reciclagem e a geração de renda. Dessa maneira, pretendemos envolver jovens fortalezenses em atividades que permitam mudar o ambiente em que vivem.

GTAR

 

Em Novembro de 2013 uma tartaruga verde encalhou próximo a Associação Boca do Golfinho no Serviluz, e nada pode ser feito para salvá-la. Dessa história, em 2014, surgiu GTAR-Verdeluz, procurando estudar a vida das tartarugas marinhas, e provar que elas existem em Fortaleza, para que ações dos órgãos competentes em prol de sua conservação pudessem ser cobrados.

Nosso trabalho é subdividido em 3 áreas temáticas:

Educação Ambiental

Com  atividades em comunidades fortalezenses, escolas e ONGs.

Monitoramentos

Realizados mensalmente na costa de Fortaleza, na porção leste de Fortaleza (Cais do Porto, Praia do Futuro, Caça e Pesca, Sabiaguaba e Abreulândia).

Necropsias

Realizadas em parceria com o Laboratório de Anatomia e Laboratório de Patologia e Medicina Legal Veterinária buscando identificar a causa mortis dos animais encontrados mortos em recente estado de decomposição.

Juntar conhecimentos e esforços é imprescindível para a conservação de espécies ameaçadas. Por isso, a necessidade do trabalho transdisciplinar envolve estudantes de diversas áreas: como Ciências Biológicas, Medicina Veterinária, Oceanografia, Engenharia Ambiental, Engenharia de Pesca e Oceanografia. Além do apoio das Universidade Federal do Ceará (UFC) e Universidade Estadual do Ceará (UECE) sob a orientação dos professores das Instituições. Possuímos também parcerias valiosas com o Corpo de Bombeiros do Estado do Ceará, o Centro de Triagem de Animais Selvagens do Ibama (Cetas-IBAMA), realizando nossas atividade sob autorização do Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade (SISBIO).

PIPA

 

O Programa de Participação e Informação Ambiental (PIPA) iniciou suas atividades com o objetivo de trazer à tona informações sobre o meio ambiente de Fortaleza de forma a sensibilizar a opinião pública para os mesmos e de incluí-la na luta. 

Sendo assim, o PIPA almeja levar para o maior número de pessoas possíveis dados sobre:

As questão ambiental está sendo tratada no município, se valendo para tanto de inserção em espaços políticos (como Conselhos e audiências públicas)

Trabalhos em comunidade, como o Projeto VerdePerto de educação ambiental em uma escola na Sabiaguaba.

Além disso, o Programa participa ativamente de espaços acadêmicos apresentando trabalhos, no intuito de discutir com a Academia os problemas enfrentados em Fortaleza.

ATIVISMO

 

O Ativismo é um dos projetos do Verdeluz que age de forma transversal. Veio da necessidade de acompanhar os processos políticos ligados à proteção do meio ambiente na cidade de Fortaleza.

 

Assim, agimos em participando de processos ligados às políticas públicas, ocupando conselhos gestores e assentos diversos na esfera governamental, participando das Conferências do Clima das Nações Unidas e acompanhando os mais diversos processos de movimentos socioambientais, muitas vezes oferecendo também assessoria jurídica.

 

Este projeto então representa o Verdeluz em diversas esferas e atua em conjunto com os outros projetos de forma transversal.